O Templo de Hatshepsut, localizado em Luxor, Egito, é uma impressionante façanha arquitetônica da 18ª Dinastia. Construído para a poderosa faraó Hatshepsut, é uma estrutura em terraços única que atesta seu reinado e sua inovadora arte.

Quando foi construído o templo de Hatshepsut?

O templo de Hatshepsut foi construído por volta de 1478 a.C. O templo de Hatshepsut está localizado em Deir el-Bahari. A rainha Hatshepsut nomeou o templo de “Djeseru”, que significa “Santo dos Santos”.

Inspiração para o templo de Hatshepsut

Uma das principais responsabilidades de um monarca egípcio era construir edifícios monumentais para preservar sua memória e as histórias de seu reinado para a eternidade. Os monarcas egípcios também construíam esses edifícios para honrar os deuses e garantir que o reino egípcio fosse um estado unificado.

Os projetos de construção garantiam trabalho para os agricultores e a unidade era assegurada devido ao orgulho de contribuir para o projeto por meio do esforço coletivo. Esses projetos levaram à expressão de ma’at (harmonia/equilíbrio) graças ao esforço nacional e comunitário necessários para realizá-los, o que era o valor central da antiga cultura egípcia.

Quando a Rainha Hatshepsut se tornou Faraó em 1478 a.C., ela encomendou numerosos projetos de construção em todo o Egito. Templos, obeliscos e pilones estavam sendo construídos em um ritmo acelerado, e mais artesãos do que nunca estavam trabalhando em grandes projetos. A qualidade da construção não tinha precedentes, com obeliscos de granito vermelho no templo de Karnak e templos esculpidos em rocha. Antes de Hatshepsut assumir o poder, o Egito era um país cheio de construções feitas de tijolos de barro.

Image of the two obelisks built at the Karnak temple

Hatshepsut encomendou esses projetos de construção, especialmente obeliscos, para mostrar que ela havia sido ordenada pelos deuses, a fim de legitimar sua posição e fortalecer seu governo. Isso ocorre porque os obeliscos eram vistos como um milagre, algo que apenas alguém escolhido pelos deuses poderia realizar, e Hatshepsut construiu muitos deles.

O templo mortuário de Hatshepsut foi o projeto de construção mais inovador da história antiga. O templo de Hatshepsut se inspirou no templo de Mentuhotep II (2061-2010 a.C.). Mentuhotep II fundou a 11ª Dinastia do Egito e foi o catalisador para o Reino Médio do Egito, que durou de 2040 a 1782 a.C.

Mentuhotep II era referido como um “segundo Menés”. Menés era um rei lendário que uniu o Alto e o Baixo Egito, tornando-se o fundador da Primeira Dinastia do Egito. Mentuhotep II era reverenciado ao longo da história do antigo Egito.

O templo de Mentuhotep II foi construído em Deir el-Bahari, do outro lado do rio de Tebas, e foi a primeira construção naquela área. O desenvolvimento foi inovador, pois era um templo e uma tumba. O templo de Mentuhotep II mesclava-se com a paisagem e era cercado por penhascos imponentes. O templo de Hatshepsut foi a construção mais elaborada do antigo Egito.

Hatshepsut admirava o templo de Mentuhotep II, então ela fez com que seu próprio templo o espelhasse, mas em uma escala maior. Ela encomendou a construção de seu templo ao lado do templo de Mentuhotep. Isso foi uma ótima maneira de aumentar sua imagem pública e garantir que seu nome fosse registrado nos livros de história por muito tempo.

O templo de Hatshepsut era uma homenagem a Mentuhotep II, mas também a vinculava à grande história do Egito. Ao superar obras monumentais impressionantes do passado, Hatshepsut fortaleceu a autoridade e legitimidade de seu reinado.

Design e layout do templo de Hatshepsut

O templo mortuário de Hatshepsut foi projetado para superar todos os outros templos em escala, elegância e grandiosidade. O templo de Hatshepsut também foi projetado para contar a história de seu reinado e sua vida. Cada aspecto do templo de Mentuhotep II foi aprimorado, tornando-se mais longo, maior e mais elaborado.

O templo de Hatshepsut era considerado uma maravilha do mundo antigo pelos arquitetos. Localizado no sopé de penhascos de calcário, o templo tinha pátios e colunatas em terraços que pareciam subir pelo lado da montanha.

Os níveis inferiores do templo possuíam jardins com árvores perfumadas e piscinas. O templo tinha enormes imagens de Hatshepsut, com mais de 100 grandes estátuas de Faraó Hatshepsut como uma esfinge, guardando a via processional.

O templo possuía grandes rampas que levavam aos diferentes níveis, e cada nível possuía colunatas, estátuas, pinturas e relevos elaborados, cada um contando uma parte de sua história. Apesar da imensa escala do templo, com aproximadamente o comprimento de dois campos de futebol e meio, o design e a disposição eram leves e graciosos, não se assemelhando a uma fortaleza, ao contrário dos templos dos faraós que a antecederam.

Image showing the temple of Hatshepsut in Dier El Bahri

A rampa que leva ao terceiro nível tinha a Colunata do Nascimento à direita. Nessa área, contava-se a história de seu nascimento divino, com o deus Amun como seu pai. Hatshepsut fez inscrições nas paredes descrevendo como o deus Amun a concebeu com sua mãe. Ao afirmar que ela era filha do deus mais popular e poderoso do Egito na época, Hatshepsut se deu o privilégio de governar o Egito, apesar de ser uma mulher. Ao assegurar sua relação única com Amun, ela eliminou qualquer crítica ao seu reinado.

À esquerda da rampa que leva ao terceiro nível, encontra-se a Colunata de Punt, com uma série de relevos mostrando sua expedição a Punt. Os relevos mostravam barcos sendo carregados com bens de luxo altamente valiosos, como árvores de incenso, animais exóticos, ébano, marfim e ouro. Uma das inscrições dizia: “Nunca foram trazidas coisas assim a qualquer rei desde que o mundo existe”.

Usos do templo de Hatshepsut

Quando o templo foi construído, ele foi usado para exibir todas as realizações de Hatshepsut. Este templo também foi construído como seu templo funerário. No segundo nível do templo, Hatshepsut tinha um templo para Anúbis, que é o guardião e guia para a morte. Essa era a melhor prática para qualquer templo mortuário, já que Anúbis era o deus responsável por conduzir as almas do túmulo para a vida após a morte.

O templo também era um santuário para o deus Amon-Rá. A rampa até o terceiro nível levava o visitante ao santuário de Amon-Rá. A parte mais sagrada do templo foi escavada no penhasco de calcário em que o templo foi construído. Localizadas no centro da rampa que leva ao terceiro nível, havia três estruturas: a Capela Real do Culto, a Capela do Culto Solar e o Santuário de Amon-Rá. A Capela Real e a Capela do Culto Solar continham imagens da família real fazendo oferendas aos deuses. Amon-Rá era uma característica proeminente na Capela Solar, pois Amon-Rá era o deus do sol e criador. Havia imagens de Hatshepsut e de sua família direta ajoelhados diante de Amon-Rá em honra.

No século VII d.C., o templo de Hatshepsut foi utilizado como um mosteiro copta durante a era cristã primitiva. O templo de Hatshepsut é agora conhecido como o Templo de Dier El-Bahri, que significa “Templo do Mosteiro do Norte” em árabe.

O templo após o reinado de Hatshepsut

Após o reinado de Hatshepsut, Thutmose III e outros faraós danificaram os relevos internos, inscrições e pinturas no templo de Hatshepsut. Eles reivindicaram o templo como deles sempre que chegavam ao poder, então cada um tinha seus próprios planos e agendas do que fazer com o templo. Akhenaton, o faraó após Thutmose III, danificou o templo por motivos religiosos, pois ele não tinha problemas com Hatshepsut sendo uma faraó mulher.

Akhenaton aboliu crenças e práticas religiosas tradicionais no Egito e as substituiu pelo monoteísmo, focado no deus solar, Aton. Os historiadores acreditam que isso foi feito por motivos políticos, em vez de religiosos, pois o Culto de Amon cresceu em poder quando Akhenaton chegou ao poder. O culto rivalizava com o trono, então abolir o culto foi a maneira mais rápida e eficaz.


Posts Relacionados


Fontes

Ancient Egypt Online. “Temple of Hatshepsut.” Ancient Egypt Online, ancient-egypt-online.com, https://www.ancient-egypt-online.com/temple-of-hatshepsut.html.

World History Encyclopedia. “The Temple of Hatshepsut.” World History Encyclopedia, World History Encyclopedia, 20 Sep. 2019, https://www.worldhistory.org/article/1100/the-temple-of-hatshepsut/.

“Deir el-Bahri: The Mortuary Temple of Hatshepsut,” by Mark Andrews, Ancient Egypt Online. Accessed on July 1, 2022. https://www.ancientegyptonline.co.uk/deirelbahri.html